Portuguese Chinese (Simplified) English
Imprimir

6ª Edição do concurso “Todos contam” volta a premiar Cinfães

Escrito por WebFarol. Colocado em Notícias-2017

O Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto (AEGSP), Cinfães, foi, pela 5ª vez, distinguido no concurso Todos Contam, uma iniciativa do Conselho Nacional de Supervisores Financeiros e do Ministério da Educação que distingue anualmente os melhores projetos de educação financeira a implementar nas escolas, em cada ciclo de ensino. O projeto apresentado, este ano, a concurso destina-se ao 1º Ciclo do Ensino Básico e vai ser implementado em todas as escolas do agrupamento, ao longo do ano letivo 2017-2018.

O prémio especial de continuidade, destinado a valorizar a continuidade dos projetos implementados ao longo de vários anos letivos, foi entregue no dia 30 de outubro, na sessão solene da Semana da Formação Financeira que decorreu no Agrupamento de Escolas de Fernando Pessoa, em Lisboa. Nesta sessão, estiveram presentes, o secretário de Estado da Educação, João Costa, a Presidente do Júri do Concurso, Isabel Alçada, o Governador do Banco de Portugal, Carlos da Silva Costa, a Vice-Governadora do Banco de Portugal Elisa Ferreira, bem como a Presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, Gabriela Figueiredo Dias e o Presidente da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, José Figueiredo Almaça. Em representação do AEGSP, estiveram presentes o diretor, professor Manuel António Pereira e a professora Maria Irene Ramos, responsável pela elaboração do projeto distinguido.

O projeto de Educação Financeira apresentado a concurso insere-se no Plano de Educação Financeira e Tributária do Agrupamento que se pretende ver implementado em todos os níveis de ensino, ao longo do ano presente ano letivo. Este projeto, embora mais afeto à educação para a cidadania, deve encarar-se como uma componente transversal do currículo, sendo alvo de ensino e aprendizagem em qualquer área disciplinar ou não disciplinar. O trabalho desenvolvido neste âmbito possibilitará aos alunos desenvolver competências ao nível do cálculo, raciocínio, linguagem oral e escrita, preocupação com o meio ambiente e criatividade. Pretende-se que tenha aplicabilidade no dia-a-dia, quer dentro quer fora da escola, envolvendo também as famílias, através de encontros de pais, de forma a serem capazes de disseminar os conceitos de educação financeira nos contextos em que interagem. A educação tributária tem como finalidade principal sensibilizar os alunos do nono ano de escolaridade para a função do estado como promotor de uma sociedade mais justa e igualitária, que se necessita de financiar por via da tributação.

Profª Maria Irene Ramos